domingo, dezembro 30, 2007

Monótona vida

Acordar era sempre muito difícil, mas o fazia.

A ausência da rotina a incomoda, ainda assim sorri fazendo careta pro espelho do banheiro e começa seu dia.

Monótono dia.


Canta baixinho no chuveiro. Ela tenta planejar seu futuro.

Seu dia passa dentro dela mesma. Como todos os outros.

E sempre o futuro é quem toma conta.


Às vezes ela tem medo de enlouquecer.


Vazio. Grande vazio. Planos. Muitos planos.

Ações. Para o futuro incerto.


A vida passa. Ela está só.

quarta-feira, dezembro 26, 2007

Estágio vegerariânico

Estou passando por uma experiência diferente. É um estágio de vegetarianismo pra me adaptar a essa nova forma de vida.


Uma decisão que mudará meus valores e hábitos durante toda a minha vida não pode ser tomada de uma hora pra outra, mas a cada minuto tenho mais certeza de que tirar animais na minha alimentação é o mais racional a ser feito.


Caso você também esteja pensando em fazer isso ou tem alguma curiosidade de saber de uma leiga como é a primeira fase aqui vão alguns pontos observados por mim.


Virada radical


Numa família onde não há um vegetariano sequer, parar de comer animais não passa despercebido. Até agora todos aqui em casa tem levado na boa, apesar de ninguém botar fé de que vai durar muito tempo e não entenderem bem o porquê. Não quero ser nenhuma radical, não quero que eles parem de comer carne, muito menos você que está lendo. É uma atitude absolutamente pessoal. Também não quero ter que sair falando em todos os lugares onde eu passar, essa fase de adaptação é complicada, mas descrição é fundamental. (relevem o fato nada discreto de eu estar publicando meus ideais numa página de acesso internacional).


Ideal


A decisão de não tomar nenhuma postura radical é muito importante, portanto, não esperem que eu os condene por comer animais nem que eu mude a imagem do template do meu blog porque tem um bife. Sei que quando eu já estiver adaptada, o fato de eu comer animais ou não vai alterar em nada a minha rotina ou a rotina da minha família, que eu tenho feito lanchar em lugares que me dão a opção de batata-frita, por exemplo uehuehueheuhe.


O motivo ético


“Do ponto de vista ético, a carne em nossa mesa implica em crueldade com os animais, bem como com o próprio ser humano, uma vez que sua produção é anti-econômica e a quantidade de alimento produzido em uma mesma extensão de terra é muito menor do que quando dedicada à lavoura. Portanto, em um mundo onde a fome ainda é uma realidade para grande parte da família humana, torna-se, o comer carne, um hábito suntuoso, totalmente inaceitável.


A maneira como os animais são criados em espaços reduzidos, confinados em gaiolas ou em ambientes superlotados é cruel e desumana. Os animais são muito ligados à sua prole; quando criados confinados são impedidos de seguir seus instintos, o que os faz sofrer intensivamente. A forma como são abatidos é primitiva e violenta. Os métodos para atordoá-los não são confiáveis e muitos são esquartejados, esfolados, queimados e/ou depenados ainda vivos.


Os animais são transportados para o abate em condições péssimas, muitas vezes ficando sem alimento ou água por longos períodos de tempo. Em vista disso, muitos morrem a caminho do matadouro.”


No início não é fácil


Num dia normal na minha casa, no lanchinho do meio da tarde e do fim da tarde, eu fritaria hambúrguer ou mini-chicken que estão sempre prontinhos na geladeira, e de noite eu como sempre um x-bacon ou um x-calabresa da lanchonete perto de casa. Hoje, estou absolutamente perdida encontrando alimento apenas nos vários tipos de pão que rondam a minha geladeira. Num dia pão manteiguinha, no outro pão de forma, no outro dia pão francês, no outro dia eu já não agüento mais!!!


Tudo bem, tem a ceia de natal. Participei da ceia das minhas três famílias e não encontrei um prato sequer sem a presença de defuntos!! Até o macarrão tinha camarão, frango no arroz, porco na farofa...


Acredite em mim, se você não fizer um estudo e se preparar bem antes de assumir o vegetarianismo, você vai
passar fome!


Claro que há várias receitas ótimas sem animais, mas fui pega de surpresa já que não há um vegetariano sequer no meu circulo familiar-amiguístico e eu tinha acabado de decidir a tomar essa postura quando fui à festa de natal. Ano que vem, pode crer que levarei um prato especial para a ceia da família!


É tentador ceder


Em alguns casos é fácil manter a postura, como por exemplo com o peru. Me digam se não é nojento ver aquele animal tostado ali na mesa pronto pra ser comido por nós? Pensem no fato de que há uma grande cela com vários animais apertados se alimentando a fim de ficarem bem gordinhos até o natal. De lá eles são transportados para alguma indústria, e como já estão no ponto, nem se preocupam mais com sua alimentação. Depois são muitas vezes depenados ainda vivos e mortos de modo grotesco até serem embalados e finalizando um grande processo industrial até um deles ser temperado por nossa tia e comido por nós. Arrgth! Eu estou fora disso!


Por outro lado, meu prato preferido é servido justamente no natal... e pasmem.. é um animal! Sim... bacalhau desfiado. Uma delícia da qual estou abrindo mão. Isso sem falar no big bob com aquele hambúrguer delicioso, pizza de calabresa, a minha preferida, esfirra de carne do habibs, macarronada de molho branco e a tradicional picanha, prato especial da casa feito pelo papai e pela mamãe. Todas, absolutamente todas as minhas comidas preferidas são animais.


Não é tão fácil, não é tão difícil, mas uma coisa é certa: é possível!


Adeus, vida canibal!

sexta-feira, dezembro 21, 2007

Homem: Animal irracional.

Isso ninguém mostra, mas quando uma mulher invade a passarela com uma plaquinha, no outro dia aparece em todos os jornais do mundo como ridícula.


Caramba,

...

Só assistam ao vídeo.

quarta-feira, dezembro 19, 2007

Duas vozes de mim. O retorno.

Dois extremos de uma realidade docemente preocupante

E agora?! O que eu vou fazer?

Relaxa.

Mas como? Não ensinam nada naquela escola fuleira e eu vou perder o PSC! Não faço nem idéia do que integra o conteúdo do ano que vem. Não tem cursinho no primeiro semestre... Não vou saber nada pro vestibular!

Tu ainda tens tempo pra estudar...

Não tenho ! Depois da viagem só tem seis meses até a prova!

O pior que pode acontecer é tu passar mais um ano fazendo cursinho, mas nós vamos passar!

Mais um ano??!!! E era pra ser ESSE ano!

...

Eu também sinto a dor, mas tu tens que aprender a lição, droga! Para de se preocupar tanto só vai tornar mais difícil.

Mas como? Estou lascada!

Pense pelo lado bom, serás uma lascada que fala francês e sentiu Paris no natal.

sexta-feira, dezembro 14, 2007

Ao Muso

Ele se acha o próprio muso inspirador e eu deveria provar o contrário, mas o que que eu posso fazer? Eu amo tudo naquele homem!


Amo assistir Dexter com ele. E House e Two and a half man, The office e até jogo do Corinthians. Amo porque eu fico com raiva pela distância dele, mas quando ele liga dizendo que vai passar lá em casa eu grito “yes!”. Eu amo aquela barba e quando a gente se ama eu esfrego tanto meu rosto nela que fica até doendo depois. Amo esse olhar sonolento, o cheiro gostoso demais e até a forma como ele se veste! E eu adoro quando ele fica beijando meu corpo e odeio o fato dele fazer isso tão raramente...


Amo porque ele me conhece melhor que eu mesma. Amo porque ele sabe transmitir tudo com o olhar. Nem sempre eu entendo, mas aí houve falha na comunicação uehuehe. E o dia não é o mesmo sem aquele senso de humor excêntrico.


Amo porque ele me faz sentir a mulher mais linda da Terra apesar de viver me alertando que daqui a um tempo as coisas já não estarão mais tão em forma assim. E ele tem aquela voz de preleção inexprimível que me deixa doida. Amo aquele abraço que encaixa tão bem.


Amo porque ele me escreveu aquele e-mail há tantos anos daqueles e que quando eu estiver na cadeira de embalo, velhinha, com a vida toda passada, eu vou ler com emoção e chorar por aquele grande amor.

segunda-feira, dezembro 10, 2007

O Ninguém sabe!

Há coisas que são e simplesmente... são. E todo mundo aceita isso.

Um ali pode até reclamar, mas depois esquece.


Alguém sabe por que o seu Chico não sabe quem é a Regina Duarte? Eu não sei.

A culpa é do presidente? Sei lá! Ele está tão longe da Terra do Meio quanto eu.

Mas e o governador? O prefeito? O dinheiro?


Ele não quis vender a casa. Então colocaram a arma na cabeça do filho e eles tiveram que sair. Ah.. nós tomaremos as providências cabíveis... (nunca hahaha que se dane a dona Maria!).


Sempre é muito longe. E sempre fica assim mesmo.


A freira que tentou ajudar morreu. O outro morreu com veneno jogado por helicóptero sem nunca ter se visto numa foto. E a identidade? hahaha! Foi acidente aquela bala na cabeça também.


A área é protegida! Essa estrada não existe!

Mas nós passamos por ela e tem fazenda e até posto de gasolina.

Nós vamos averiguar o caso (cuidem para que esse repórter não nos perturbe mais).

Pou! Mais um acidente. Enterra ali.


Mais alguém gravou e mandou pra polícia. Isso é um absurdo, eu sou inocente! Mas a gravação comprova!

Quanto pra ninguém saber? 100 paus. Aqui. Feliz Natal pro senhor.

quinta-feira, dezembro 06, 2007

Real

Eu sonhei que os lírios desabrochavam amarelos.
E isso não muda o
fato de serem laranjados.

segunda-feira, dezembro 03, 2007

Baby

Eu não sei o que é isso.

Será que eu gosto de ti?

Mas se eu gosto assim,

Você também gosta de mim.



Eu vi como você me olhou.

Eu sei que você pensa em mim.

Baby, eu também penso em você.

Mas vamos continuar assim.



Eu tenho medo de te ver.

Nem sei o que é isso em mim.

Eu vi como você me olhou.

E sei que você também pensa em mim.


Eu contei pra uma amiga e ela riu de mim.

Eu vi sua aliança. Não tem mais jeito.

Eu penso em você e você em mim.

Mas vamos continuar só assim.