sexta-feira, março 07, 2008

Trasilau

Camões

...De um certo Trasilau se lê e escreve,
entre as cousas da velha Antiguidade,
que perdido um grão tempo o siso teve
por causa düa grande infirmidade;
e enquanto, de si fora, doudo esteve,
tinha por teima e cria por verdade
que eram suas as naus que navegavam,
quantas no porto Píreo ancoravam...


Foi publicado na primeira edição da revista eletrônica Trasilau, um texto meu.
Passem lá e prestigiem.

O conteúdo da revista é de excelente qualidade, vale a pena navegar por todas as páginas da revista.

Pra ir direto ao meu texto clique aqui.

Pra abrir a revista pela capa clique aqui.

domingo, fevereiro 24, 2008

Quase dezessete

Com dezesseis eu já saberei falar três idiomas
E tocar guitarra como ninguém
A minha banda de mulheres será a mais tocada
E eu estarei entre os primeiros colocados no vestibular

O meu amor vai ser só meu
E o mais lindo
O mais verdadeiro
E eu serei feliz

Hoje já estou com quase dezessete
Sequer aprendi a falar inglês
Ainda não saí dos primeiros acordes
E vestibular é um sonho cada vez mais distante

Alguém já me disse “eu te amo” uma vez
Mas desmentiu logo depois
Eu nunca fui amada
Nunca

A concretização vai se distanciando
Enquanto o tempo vai passando

Hoje estou com quase dezessete
E os planos ainda não passam
De planos

sexta-feira, fevereiro 15, 2008

quarta-feira, fevereiro 06, 2008

Pain

Eu queria aprender uma forma de fazer as coisas parecerem mais simples.
De não ter dor. De não ter vazio. De apenas ser.

Eu poderia passear na rua sem sentir falta de nada.
Sem sentir solidão.
E sorrir quando eu estiver no meio de muita gente, mas sem nada pra falar.
E cantar, enquanto estiver no meu quarto. Só.
E poder ajudar minha mãe, sem o coração apertado e o nó da garganta que quase me fazem a interromper para chorar meus próprios problemas.
Que não são concretos. É só uma dor.
Que não mata, mas faz perder a cor.

quinta-feira, janeiro 31, 2008

The Black Apple y otras cositas más.

Em poucas palavras:


Depois de algum tempo sumida do meu próprio blog e a muito tempo ausente na maioria dos outros blogs, apresento-vos a versão The Black Apple. As imagens são da artista plástica Emily Martin. Os desenhos são perfeitos. encontrei por acaso e foi amor a primeira vista.



Presentes

Mesmo ausente, recebi alguns selos, orgulhosamente expostos na barra lateral, e isso me deixou deveras emocionada, pra não dizer metida.

Muito obrigada a todos que me deram esses prêmios e a todos os outros que gastam seu tempo aqui no “Pensamentos de uma garota normal”. =]

Me darei o luxo de repassa-los porta-a-porta, e isso pode levar algum tempo uehuehueheu.

Até mais.

domingo, janeiro 20, 2008

Aos Treze - Memórias de uma garota de 16 anos parte 1

Foi bem na virada dos doze pros treze que eu entrei no mundo virtual. No MSN, mais precisamente. E com um único objetivo: falar com os meninos da banda Metanóia. Pra falar a verdade, não sei se eu entrei pra fazer isso, ou se só soube fazer isso quando entrei, mas no mesmo instante em que terminei de instalar o MSN Messenger, tratei de encontrar o e-mail deles. E assim adicionei meus primeiros contatos: Markeetoo e Micael. Era como um sonho realizado, eu passava a tarde inteira conversando com o Markeetoo, e assim que ele ia pra faculdade, o Micael entrava e passávamos a noite toda conversando. E foi daí pro fotolog.. Postava todos os dias.. e bombava! Ainda postava em todos esses fotologs abertos: Purple, converse, eyes, webcam.. e assim minha lista de contatos cresceu muuito. Conhecia gente de todo o canto do Brasil, além de uns argentinos, um uruguaio, um mexicano...

E foi assim, falando um xuxês moderado, alguns erros de gramática, com 10 janelinhas do MSN piscando ao mesmo tempo, comentando em infinitos fotologs, admirada por muitos e ignorando a oposição, que eu entrei nos 13 anos.

Eu sempre tive personalidade forte. Falo muito, dou minha opinião, e assim que fui marcando território na Internet, fui transferindo essas características para a “aninhah”. Ah! era um mundo mágico! Porquê eu poderia ser como eu quisesse. Sabia ser engraçada, dizer as coisas certas, falar besteiras, ser durona, ser bobinha. Foi nesse auge do mundo virtual eu cheguei a desaprender a me relacionar com as pessoas ao vivo. Eu me esforçava pra manter o meu perfil ao vivo exatamente como aquele, criado pouco a pouco na frente de um monitor, mas não era a mesma coisa. Não tinha como dissimular. Não sabia nem o que fazer quando eu encontrava algum conhecido. Minhas bochechas vermelhas me entregavam. Na Internet elas só apareceriam se eu quisesse. Até as palavras me faltavam. Cadê aqueles assuntos todos? E as piadinhas?

13 anos. Fora da escola. Sem amigos. Sem falar com ninguém. Como eu poderia desenvolver um diálogo ao vivo?

Eu só tinha a Internet.

domingo, janeiro 13, 2008

Sou chá!

Hoje sou riso.
Hoje sou lágrima.

Hoje sou amor.
Hoje sou dor.

Hoje eu sou chá.

Hoje estou lá!

sábado, janeiro 05, 2008

Um

Ao amanhecer, o choro cessou, amor.
Insisti em você e agora ouço ao teu lado a nossa canção.

A paz veio. E ela trouxe o sol, amor.
Agora descansa nos meus braços que teu abraço já me fez inteiro.


Veja, amor, agora somos um!